Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A QUESTÃO DOS HERÓIS

Herói é uma figura arquetípica que reúne em si os atributos necessários para superar de forma excepcional um determinado problema de dimensão épica. Do latim heros, o termo herói designa originalmente o protagonista de uma obra narrativa ou dramática.A questão dos heróis é algo que intriga o homem. Por que criamos heróis? Qual o sentido e a função da figura heróica? Desde tempos remotos o homem elege seres que ele mesmo trata com certa idolatria, vendo neles seres mágicos, dotados de poderes que os homens comuns não possuem. O que é ser um super-herói? Nos desenhos e estórias em quadrinhos os super-heróis geralmente possuem super-poderes, fazem coisas que os humanos comuns são incapazes de fazer. O super-herói é uma projeção do homem, que cria um ser capaz de fazer aquilo que ele não pode, para assim se realizar no ser idolatrado. Os heróis mudam com o passar do tempo. Na Grécia antiga Zeus, Aquiles e Ulisses eram os grandes heróis, que concretizaram os desejos e anseios do povo grego, extremamente ligado ao mito e suas narrações. Na Idade média os heróis eram outros, religiosos, seguidores do ideal cristão, que com seus milagres e sua capacidade de imitar o Cristo tornavam-se exemplos para o restante da cristandade. Na modernidade surge um novo tipo ou ideal de herói, o cientista, ser capaz de perscrutar os segredos da natureza. Mas em todos os tempos e lugares nossos heróis ainda são os mesmos. Não os mesmos personagens, nem as mesmas figuras, mas a mesma representatividade. Elegemos heróis que nos fazem acreditar que aquilo que confiamos e acreditamos é possível, desde que os imitemos ou neles nos espelhemos. Por que os super-heróis usam máscaras? Na antiguidade o uso de máscaras revelava um certo mistério. Aquele que da máscara se apossava ou dela se utilizava tornava-se como um Deus, um ser extraordinário. Isso é possível porque sua identidade se tornava velada, fazendo do usuário da máscara um ser desconhecido, dotado de uma misteriosidade instigante e fascinante. Daí para a atribuições de super poderes era uma questão de tempo. Esconder a identidade faz de nós seres incompreensíveis, inomináveis. Quem não nos reconhece, de nada pode nos acusar. A máscara, ao mesmo tempo que esconde a identidade, fornece poderes àquele que a utiliza. Essa é a função da máscara. No fundo todos temos um pouco de heróis, por conseguirmos diariamente vencer os desafios da existência sem desistir. Mas somos ao mesmo tempo vilões de nossa própria sorte, criando obstáculos para a nossa auto-realização. Nossos heróis dizem muito sobre quem somos. Aqueles que elegemos como nossos heróis e os idolatramos, representam, de certa forma, tudo aquilo que desejamos ser ou somos. O herói além de ser uma figura idolatrada é também sempre uma figura marginal, que precisa se esconder, ou que muitas vezes não consegue lidar com problemas pequenos da existência. Todo herói portanto, possui poderes especiais, mas também defeitos e problemas hilários. O herói não pode transitar livremente, por isso esconde sua identidade. Vive à margem da sociedade assim como a grande maioria da população que é obrigada diariamente a se virar nos 30 para sobreviver. Heróis não são somente as figuras fictícias que criamos, mas todos e cada um de nós. Principalmente aqueles que menos recursos possuem e que mesmo assim conseguem levar uma vida digna e lutar por um mundo melhor. A questão dos heróis revela muito de nós.

Nenhum comentário: